Planetóide X

Imóveis brasileiros são caros e ruins porque a cada minuto nasce um Especulotário

16:54 José Guilherme Wasner Machado 0 Comentários Categoria: ,


Você já deve ter visto por aí alguns sites/blogs que mostram como nossos imóveis são caros e (muito) ruins se comparados, em custo x benefício, com equivalentes no exterior. Incluindo aí o primeiro mundo, com seu poder aquisitivo muito superior ao nosso. O mais famoso destes sites é o Tem algo errado ou estamos ricos?. Vale uma conferida. Pelo que se vê no mercado imobiliário brasileiro (aliás, não só no mercado imobiliário) nosso país deve estar entupido de milionários loucos para rasgar dinheiro.

Como mudei de cidade, nos últimos meses tenho procurado (sem pressa) um apartamento para morar e estou impressionado com 1) o preço absolutamente irracional dos imóveis e 2) o quão pouco você obtém pelo valor estratosférico que desejam cobrar por eles. Querem que você pague preço de "Mansão de Beverly Hills" por um apê com jeitão de barracão da periferia. Para piorar, as construtoras e os vendedores andam bem arrogantes. Prepotentes. Na base do "Olha, o preço é esse aí, é pegar ou largar". "Se não quiser, tem quem queira". "Compre agora e agradeça, pois depois você não vai conseguir mais". Te dispensam sem remorso ou tentativa de negociação. Como assim, você não vê o privilégio que é poder adquirir aquele imóvel? Seu mal agradecido! Chegam mesmo a bater boca com você, o cliente.

Esses caras ficaram malucos? Perderam o senso de realidade? Acham que estão no reino mágico de Oz?

Não. Eles apenas agem com a segurança e o conhecimento de que a cada minuto nasce um Especulotário. Se você não é um, dane-se, o seguinte será.

Mas, afinal de contas, quem é esse tal de Especulotário? Quais são seus hábitos, seu modus operandi, seu pensamento, seus ideais, suas esperanças?

Vamos então conhecer um pouco sobre esta enigmática figura, um produto típico de um país onde as pessoas se acham espertas demais para seu próprio bem

- O Especulotário se considera (dãã) um grande especulador. Como o mercado passou por um período de valorização elevada nos últimos anos, o Especulotário, depois de profunda reflexão, chega à brilhante conclusão de que, portanto, isso sempre aconteceu e sempre acontecerá. Ele não perde um segundo sequer olhando análises mercadológicas, feitas por especialistas. Ele é bom demais para isso. Ele não procura pesquisar a evolução de preços de anos atrás e daí descobrir que, oh!, aquele período de valorização espetacular foi limitado, um caso especial. Não senhor, se valorizou muito ano passado, vai valorizar muito neste ano, vai valorizar muito ano que vem, vai valorizar muito sempre! É líquido e certo, pode pegar o financiamento mais escorchante possível! Os corretores, inclusive, lhe deram total apoio nisso! O lucro dele será fantástico, garantiram! Qualquer coisa, ele vende o imóvel depois de seis meses, paga o financiamento e ainda sai com uma bolada de lucro! 

Daí ocorre que nosso gênio, após empenhar até as cuecas e se matar para pagar as cavalares prestações que chegam religiosamente todo santo mês (e assim chegarão pelas próximas três décadas), descobre, um ano depois, que o preço do imóvel... bem, como direi isso? Caiu. E ele não está conseguindo mais pagar.

- O Especulotário se considera um grande investidor. Daí resolve "investir em imóveis", mesmo sendo este o pior tipo de investimento possível em 99% dos casos. Ele fica genuinamente surpreso quando, uma década depois, o "investimento" dele sequer conseguiu acompanhar a inflação.

- O Especulotário se considera um grande economista, embora mal saiba fazer as quatro operações básicas. Uma das teorias prediletas de um Especulotário é que "é mais negócio pagar financiamento, aluguel é dinheiro a fundo perdido!". Mas o que ele paga mensalmente de juros da prestação, - o que, perceba, TAMBÉM é dinheiro a fundo perdido - é mais, MUITO mais do que pagaria no aluguel de um imóvel idêntico. Ou seja, ele está perdendo dinheiro da mesma forma, mas a uma taxa muito maior.

- O Especulotário é, antes de tudo, um tradicionalista. Vovó não dizia sempre que "imóvel não se vende"? Pois é. Então nosso amigo não vende nenhum imóvel que possua, por mais que necessite disso. Se ele precisar comprar um imóvel novo (por exemplo, caso a família tenha crescido), o GÊNIO DAS FINANÇAS vai financiar um percentual altíssimo (o quanto for possível) do imóvel desejado e colocar o antigo imóvel para ALUGAR. Na cabeça do Rockefeller tupiniquim, "o aluguel vai pagar a prestação do financiamento, e no final eu terei os dois imóveis, hahaha". Só que dinheiro é caro, filho. O aluguel vai pagar apenas os juros do banco que emprestou o dinheiro. Corrigindo: uma PARTE desses juros. O que significa que o dinheiro do aluguel não estará acrescentando NADA ao patrimônio do Especulotário, só impedindo que ele sangre ainda mais. Isso, claro, SE realmente o inquilino pagar tudo direitinho, o que - surpreendentemente! - nem sempre acontece nesse país que valoriza tanto a honestidade. E se o inquilino não destruir o imóvel antigo, já estará de bom tamanho.

- O Especulotário tem um nível baixíssimo de ceticismo ou incredulidade. Resultado de uma criação onde ele foi treinado a acreditar piamente em qualquer coisa dita com suficiente convicção. Por mais absurda e ilógica que seja. Se o vendedor disser para ele "se apressar", porque o imóvel "tá dado", ele acreditará. Se o vendedor falar que ele "tem que comprar logo", ou "o preço vai dobrar em pouco tempo", ele comprará. É facílimo convencer um especulotário de que ele fará um "excelente negócio".

- O Especulotário tem orgulho de se ver como o malandro. O malemolente. O esperto. Por isso os vendedores sempre tentam estimular a percepção de que ele está "levando vantagem" de alguma forma. Fazendo de trouxa a construtora ou o proprietário do imóvel. Não preciso dizer quem, ao final, será o trouxa dessa parábola, preciso?

- O Especulotário tem senso crítico igual a zero. Se ele porventura notar algum problema no imóvel (é raro, muito raro, mas às vezes até acontece), a dúvida não persiste muito em sua mente. Por exemplo, se ele nota que os quartos são minúsculos, meros closets com uma janela para serem chamados de "quarto", basta o vendedor falar algo como "Mas quem fica no quarto hoje em dia? Quarto é só para dormir! Basta caber a cama!" ou "Derruba aquela parede e junta os dois quartos em um, que aí fica de bom tamanho". O Especulotário se convencerá rapidinho. É capaz até de dar uns tapinhas nas costas do vendedor pela ótima idéia. Se o Especulotário notar, num momento de rara lucidez, que a rua da frente tem um tráfego infernal, o vendedor dirá um "Mas basta fechar a janela que desaparece o barulho, tem vidro duplo isolante!". O Especulotário se maravilhará com a descoberta e ficará felicíssimo. Mesmo que no dia da visita esteja fazendo 40 graus à sombra.

- O Especulotário é materialmente humilde. Por isso os vendedores tentam convencê-lo - e sempre conseguem - de que ele está sendo "exigente demais". Não é que o imóvel seja uma grande porcaria, o Especulotário é que está sendo "pouco realista" em suas expectativas. Quem precisa mais do que 2m2 de área de serviço? Pois não cabe a máquina de lavar? Como assim o prédio do lado está "muito próximo"? São praticamente três metros inteiros de distância! Ora, é claro que 60m2 é espaço mais do que suficiente para uma família de cinco pessoas! Quem você pensa que é? Bill Gates?

- O tempo do Especulotário é precioso. Ele não conhece ou analisa o mercado de imóveis antes de comprometer seu suado dinheirinho, o fruto das suas economias de toda uma vida. Não, ele perde mais tempo escolhendo o próximo celular. Visitar trinta imóveis? Nem pensar! Começar a olhar com bastante antecedência? Tenho mais o que fazer! Não senhor, Especulotário que é Especulotário decide a compra em quinze dias, visitando uns cinco imóveis. Isso se não comprar, por pura preguiça, o primeiro que lhe apresentarem.

---

Assim, na próxima vez que reclamar do preço ou da qualidade dos nossos imóveis, veja antes se você também não está fazendo a sua parte nisso, sendo um típico Especulotário. Não culpe tanto os vendedores. Eles estão apenas na sagrada missão de separar os idiotas de seu rico dinheirinho. Afinal, ALGUÉM tem que fazer um bom negócio nessa história. Achava mesmo que seria você?

PS: não tenho nada contra as pessoas comprarem imóveis. De modo algum estou sugerindo que você deva ficar num apê alugado. Muito pelo contrário. Mas 1) faça pelos motivos CERTOS, não pelos errados 2) pesquise bastante para se inteirar do mercado, 3) comece a olhar com uma boa antecedência, 4) não compre porcaria, independente do papo furado do vendedor, 5) tente financiar/se endividar o mínimo que for possível dentro do valor do negócio, sempre e 6) pague o preço justo, e nem um centavo a mais. Se não, é preferível aguardar onde vc já está, ou alugar algo até que um negócio bom e justo apareça.

Veja Também:

OUTROS POSTS

0 comentários

Por favor, fique à vontade para comentar, é um prazer saber sua opinião. Seja ela contra, a favor, ou muito antes pelo contrário. Não será permitido trolling, bullying, spam, preconceito e ataques meramente pessoais ou destrutivos.